terça-feira, 16 de junho de 2009

Eu não sei.

Eu não sei o que fazer em "alguns dos quase todos" momentos da minha vida.

Não sei quando devo parar ou quando devo continuar

Não sei a hora certa de me entregar.

Não sei a fórmula do amor, da paz e muito menos da felicidade.

Não sei ler pensamentos, passo perto às vezes, lendo as entrelinhas, mas pensamentos nunca.

Eu não sei como escolher caminhos, e nunca sei qual será o mais curto.

Não sei levar a vida, nem sei ser levado por ela.

Eu não sei ser eu, às vezes, e nunca sei ser outros.

Não sei como eu sou, o que sinto, onde estou.

Eu não sei ser amigo, às vezes, e nunca sei ser inimigo.

Eu não sei entender o que está escrito pra mim na sua testa.

Nem ler o que está na ponta das línguas

Não sei como o mundo gira ou como ele roda, sei menos ainda o porque destes movimentos sem graça.

Eu não sei soprar, Eu não sei saber, Eu não sei sofrer

Sofro um Supra Sopro de não Saber.

5 comentários:

Izabela disse...

As respostas vêm de onde não esperamos. Basta ter sensibilidade para saber esperar.

Um beijo!

Tainá Facó disse...

E às vezes eu me interrogo: aonde ficaram as respostas pra essa vida? E me dou conta de que respostas são tão asfixiantes quanto a certeza. Essa coisa de "não-entender" é muito mais prazeroso. Claro, em momentos, queremos a explicação... mas não-saber faz parte da vida. É daí que começa a constante procura pela felicidade! Esse é o caminho!

beijos :*

Joh disse...

Que lindoO! adorei o que escreveu. Mais isso é pra mostrar o contrário daquilo que vejo em você?!rs...

Beijos

é bom saber..

Flor disse...

Oi Lucas, vim agradecer a visita ao meu blog e tb dizer q gostei mt dos seus textos!
Voltarei mais vezes! =)

Bjos!
=**

ŁǺи¥ disse...

Oi Lucas...

Comflitos da vida... pessoais... muitas vzs me sinto assim.

Abraço