terça-feira, 4 de agosto de 2009

Coisas Velhas - Sem título e Sem gosto

Vida insípida, inodora e incolor

Gosto de frio, cheiro de vazio.

Jeito de sólida, soneto de solidão.

E continuo suportando-a a meio fio.

Quase sempre sem ritmo e na contra-mão.

Ah! Se ainda me doesse...

Saberia a origem dos males,

Dos que maltratam e dos que "só destratam"

E dos males qual o maior?

O que me afeta ou o que nem se importa comigo?

No meu próximo existir quero sentir a vida mais de perto,

Seus amores, suas cores, e porque não, suas dores.

Só se sente em vida quem a vida sente.

10 comentários:

Melanie Brown disse...

Aii, tão triste...

Priscila Rôde disse...

Não espere por outra vida!
Adorei Lucas =)

Tamára Roots disse...

Também me pergunto qual é o maior dos males! E sempre acabo achando que é aquele que não se importa comigo..
Mas é isso,precisamos sentir a dor,o amor,ver a cor. OuViir, Veer, e no final das contas: Viver.
Paz&Bem.
Beijos.

Flávia Diniz. disse...

Que lindooo
amei amei

'só se sente em vida quem a vida sente'

=~~

Parabéns pelo texto

=*

Nobre Epígono disse...

Bela poesia, rapaz.

=)

a primeira estrela disse...

se levante,saia correndo,busque viver,coma,gaste dinheiro,tenha um carro,pague impostos,assista ao futebol,reclami do sensacionalismo da tv,viva esperando até o dia da morte =) beijos :* (isso soou maléfico)

Pequena Poetiza disse...

combinou tanto comigo =/

e continuando teus versos... escrevendo pra mim
eu acho que a vida anda sentindo minha falta. =/

beijos

Paloma Flores disse...

"No meu próximo existir"?
Não é melhor viver essa vida primeiro e deixar pra pensar na próxima quando ela chegar?

Andréia M. G. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréia M. G. disse...

Lindo texto, porém triste. Melhor viver o presente, por que é nele que a vida acontece. Na próxima vida, a gente pensa no que fazer. Bj!