quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Monólogo a dois - Ainda

- Eu vou, se não tenho escolha, escolhido está... Melhor fingir que aceito a expor obstinação sem intento.

* Daí parti, seis minutos adentro, correndo contra o tempo...

-- Você vem comigo

- Mas não sou feliz ainda, não estou satisfeito ainda, na verdade nem sei quem sou... Ainda.

-- "Ainda" é advérbio de tempo, se na negativa: que não chegou, se no positivo: que não se foi... tempo que não combina em nada com alguns sentidos, quase sempre estes são maiores... Não cabem em tempo algum.

- Pois pra mim o tempo foi maior

-- Pois o certo é que pra ti "a racionalização" foi maior, já neste momento e "ainda" pensa em tempo.

- Ainda é tempo...

-- Por Pouco Tempo

-- Foi infeliz? Nunca amou? Nunca se deu? Nunca te deram?

- Não, não, não e não. Não sei o que sou, mas sei o que não sou.

-- Pois já é mais que o suficiente...

- Ainda bem...

22 comentários:

Gabi Petrucci disse...

"Eu não sei na verdade quem eu sou
já tentei calcular o meu valor
Mas sempre encontro sorriso e o meu paraíso é onde estou
Por que a gente é desse jeito?
criando conceito pra tudo que restou..." Lembrei dessa música d'O Teatro Mágico :)
Tenho me sentido muito assim! :~

Natália Ferreira disse...

Daí parti, seis minutos adentro, correndo contra o tempo...

-- Você vem comigo


ameii

Juliana Marques. disse...

que lindo :)

Anitha disse...

Não sei se realmente quero me conhecer...

Flávia Diniz. disse...

Oi, lindo
Obrigadaaaa =DD
é lindo, né??

Beijãão :*

Mariana disse...

Perambulando por alguns blogs, gostei mto daqui ja estou seguindo volta no meu tambem !

Eu vou, se não tenho escolha, escolhido está... Melhor fingir que aceito a expor obstinação sem intento*

Bom seria se todos tivesse suas
próprias escolhas , né ?
amei texto!
Grande beijo *

Erica Ferro disse...

Desculpas e mais desculpas para, finalmente, ir.

Eu que o diga!

Beijo.

Insanos no Paraíso disse...

E foi-se. O importante é chegar, oras.
E obrigada por comentar no meu blog abandonadinho. (inho pra não dizer abandonadissímo)

Jééh disse...

nossa amei isso é tempo? -sim mais por poruco tempo isso é tão vero que chega a me assustar, tempo por pouco tempo, não é assustador? :S então deixa eu ir antes que o tempo acabe e eu fique sem tempo(sei nada a ver)como diz o cazuza: O tempo não parar.

Lih...Amarante disse...

adorei a passagem - a antítese -
com o ainda!!!!
lembrei de um certo alguém ao ler!!!!

bom, bom, bom!

Noemyr disse...

"Mas não sou feliz ainda, não estou satisfeito ainda, na verdade nem sei quem sou... Ainda."

Ainda bem que existe o ainda...
rs =)
Beijooos :*

Mariana Andrade. disse...

o próprio tempo já não cabe apenas ao tempo. não sei como ainda conseguem agrupar palavras.. elas sempre fogem;

muito bom
;*

Tatiane Trajano disse...

A muito o que saber de mim - ainda.
E na verdade, nunca o saberei por completo.

=*

Bia Monteiro disse...

The best!!!
DorEiii...
Que seus fds seja espetacular..
Bjinnn gatinho..
=)

Katrina disse...

É, para se pensar nesse "quem sou"

Áires Cássia disse...

Olá...passei para desejar um ótimo final de semana...
Beijos

Andréia M. G. disse...

Hoje penso que conhecer a si mesmo é tarefa perpétua. Sempre estamos em busca desse conhecimento, mas nem sempre chegamos a uma conclusão, ou, às vezes pensamos que chegamos e mudamos de ideia. Enfim, busca constante. Saber o que não se é talvez seja suficiente.

Natacia Araújo disse...

E de definitivo só a passagem desse tempo. Porque de nós mesmos só temos rastros.

naty c.m disse...

Sem palavras... *-*

CarOl disse...

Oiee faz tempo que vc visitou meu blog, tá numa postagem antiga, fui olhar agora, foi mal!! Adorei conhecer o seu blog!!
Esse texto tá muito bacana!!
bjuus

Cristiano Contreiras disse...

Uma pena ter deixado de seguir e visitar meu Apimentário, porque acho seu blog sempre com posts interessantes e conceituais. Enfim, ate,

andretaka disse...

classe A, velhinho!
bem profundo sem ser extenso...sintetizou bem e se fez entender!

Qdo der, prestigie meu blog...não é poético como o seu e nem tenho a pretensão de escrever tão bem, mas dá para ler...

André Taka
www.andretaka.wordpress.com